Páginas

terça-feira, 6 de maio de 2014

Ser do bem ou ser bom?




Cara, o que importa nessa vida é ser bom!

Antes achava apenas que ser do bem era tudo... mas não.
Você passa a vida inteira perseguindo coisas: a mulher ideal, o estilo de vida ideal, os amigos ideais e acaba descobrindo que as coisas acabam fugindo de suas mãos, simplesmente porque você não as pode reter.
É quando a vida te dá um golpe. Desmorona todo teu castelo -de cartas ou tijolos- tanto faz...
Aí você percebe que tudo é transitório (e é) e procura transcender a efemeridade mundana tentando consertar as coisas erradas à sua volta, se doando ao máximo e olvidando seus próprios problemas. Pronto: você é um cara do bem!
É quando você mesmo se dá um golpe. A estrada rígida de tijolos amarelos que você andava se abre a seus pés... Você acaba de descobrir que não é o superman, muito menos Mahatma Ghandi e que a sua verdade não é tão verdade; você quer mudar o mundo mas não aceita ele quando é preciso mais compreender do que ser do bem...
Pronto! nada mais é regra. Nada mais rege tua cabeça, todas as filosofias são vãs. É época de perder-se, permitir-se tudo apesar da falta que você sente de um caminho delimitador.
Compreensão é a palavra. Abre diversas portas e permite ver mais de perto as mazelas - as suas e as do mundo. Não há condenação nem culpa. É como se você tivesse mais de mil pernas a trilharem todos os caminhos possíveis e já não é mais possível saber em qual destino chegar.
É como se você andasse ao acaso, dormindo ao relento; simplesmente vivendo um dia após o outro esperando chegar no resultado da soma de todas as suas experiências...
Dá para fazer diversas analogias neste momento, mas como a química envolvida no preparo de uma receita me atrai deveras, prefiro comparar a vida na terra a uma cozinha farta de todos os ingredientes possíveis -e você é o cozinheiro.
Prove todos os temperos e sabores que puder, mas só coloque na sua receita aquilo que seu paladar achar mais saboroso (atenção nesta hora pois o resultado final você vai ter que engolir sendo doce, amargo, salgado, ou delicioso), mas não se limite: permita-se experimentar. não se contente com apenas algumas provas -boas ou ruins- quanto mais você experimentar, melhor cozinheiro você será...
Vá colocando na panela, sentindo o cheiro, cozinhando, provando...
Não pense em cozinhar para agradar os outros, 90% da sua receita é você que vai saborear - os outros podem até experimentar, mas não muito, pois eles têm a própria mistura para digerir.
Mais do que cuidar o que os outros estão preparando atente-se ao que você está fazendo, não copie.
A palavra chave de todos os livros de receita é atenção. Este ingrediente dá certo em qualquer mistura.
Se o seu resultado for bom, você cumpriu a sua missão. Alimentou a si mesmo e pode dividir com todos aqueles que carregam apenas um copo do caldo amargo que decidiram fazer para eles mesmos.

Ser do bem é uma consequência de ser bom.

As analógicas é que são felizes!

Tenho pena das pobres digitais. Condenadas às mãos da futilidade, raramente encontram um fim útil...
As pequenas fábricas de pixel reproduzem aos borbotões, caretas e bicos - existe algo mais egocêntrico?
É praticamente uma escravidão dos novos tempos... ( Alforria às digitais por favor!).
Miguxos, baladeiros, micareteiros e outras modas inventadas pela sociedade do marketing não atingiram as velhas analógicas, não mesmo... Era necessário pensar muito bem no custo material antes de gastar dois rolos de 36 poses com torções, bicos e outros caprichos do ego.
Penso aliás, que isso sempre existiu. Ficávamos pensando, maquinando, mirabolando:
- o que faz as moças demorarem tanto para se arrumar?
Pronto. Elas resolveram saciar nossa curiosidade. Ficam fazendo caretas, mexendo no cabelo, empinando os quadris, esse tipo de coisa. (me desculpem as moças analógicas que não fazem parte do superficial mundo digital).
Só que hoje isso tornou-se praticamente mais uma forma de concorrência entre elas: o bico maior, o quadril mais torcido, o cabelo mais levantado ganha o macho-alfa, o líder da matilha.
E o cérebro?
- Pra quê? O que importa mesmo é o marketing. A propaganda é a alma do negócio! (mesmo que seja um negócio praticamente desprovido de alma).
Todo mundo pode ser fotógrafo, poeta, escritor, top model, ou outras coisas do gênero hoje em dia... É fácil. Vou lhes dar um passo-a-passo:
1 - É só colocar alguma coisa na internet, mandar uma mensagem para todos os seus contatos virtuais pedindo para curtir alguma coisa ou visitar essa sua “grande obra”.
2 - Mesmo que as pessoas tenham achado uma grande m... ou sequer tenham achado algo, seu sucesso está garantido, pois seu contador likes mostra isso.
Ah, não se esqueça de exibir o número de likes. Será muito útil para impressionar depois.
Peço aos leitores que não me levem a mal, por favor. Até gosto das digitais e suas mil e uma funções, (apesar do modo automático ser o único botão conhecido da maioria) mas ainda assim prefiro a profundidade do mundo analógico (inclusive o feminino), onde a produção de imagens cumpria etapas de um processo.
E as moças? Preferia que mantivessem segredo e alimentando a nossa imaginação.
É, as analógicas é que são felizes...

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Olhar de mãe

Encontro as pessoas na rua e paro para lhe ouvir as histórias.
Delas colho sorrisos e dissabores, alguns fracassos e sucessos, como a história da mãe que foi atrás de traficantes em seu reduto.
No local onde nem a polícia entra, impôs que não mais vendessem drogas a seu filho, sob pena de ela mesma, com a gana que tinha no olhar, acabar com o negócio ilegal do lugar.
Os chefes da boca e capangas, atônitos e inseguros das próprias atitudes perante tamanha presença - mas ainda assim empunhado armas atravessadas no corpo - responderam:
- S.. S...Só não te matamos por ter tido mais coragem que muito homem!
Então aquela mãe, com toda a força que lhe cabia, retrucou:
- Como? E por algum acaso existe algum homem com mais coragem que uma mulher?
Emudecidos e sem reação, viram ela dar meia volta com o olhar ainda flamejante e se foi.
É, não existe mesmo.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O olho d'água



O olho dágua
expôs os vasos capilares da terra.
Viu
nos cabelos verdes da cabeça do morro,
viverem fauna e flora.
Presenciou,
quando lhe rasparam a verde juba;
sobre a cabeça fresca e colorida,
cresceram jazigos de concreto
(abrigo para as espécies de agora).
Viu
o asfalto lhe cortar as últimas idéias
e sobre o olho que,
rompendo o concreto
insistia em ver as mudanças,
posso dizer que chorou a última vez
(beijo de despedida no rio),
Na encomenda de sua morte química.
Não viu
Que sobre seu túmulo sem lápide
constam apenas listras,
como um enorme código de barras.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Unhas Vermelhas



        Aquela mulher me arrebatou de tal maneira que as marcas ficaram por todo meu corpo. Caminhava com seus pés macios e unhas pintadas de vermelho sobre minhas costas, me retorcendo a coluna e os músculos... meu corpo nú, de bruços à mercê daquela mulher me deixavam inseguro. 
        Foi quando virei a cabeça sobre o ombro direito e vi seus seios apontando, firmes - ela também estava completamente nua; Olhava para baixo enquanto caminhava pisando firme como se quisesse entrar pela cavidade de minhas vértebras; Seu cabelo caindo sobre o rosto não escondiam o sorriso de extrema satisfação daquele momento: o total domínio e o fato de me ver contorcendo sob seus dedos...
        Meu prazer estava dividido entre sentir a maciez da planta de seus pés e poder olhar de cima a baixo, pernas, pelos pubianos e seios que apontavam para mim... gozava visualmente sem poder puxar aqueles cabelos que pendiam do rosto, distantes de minhas mãos.
        Tentei me virar e agarrá-la com as duas mãos, mas ela pisou fortemente sobre minha omoplata esquerda e me manteve deitado, estático; Torceu meus dois braços e se ajoelhou sobre minhas mãos, me deixando completamente imóvel.
        Suas unhas bem feitas tinham um propósito sinistro: escrever sua história em minhas costas... Propósito ao qual me entreguei sem demora.
         Tinha agora minha pele sob suas unhas, incrivelmente bem feitas! Vermelhas também. Depois de me marcar o quanto quis, aproximou seus lábios carnudos sobre as feridas que havia provocado e pôs-se a lamber como cadela, vampira ou sei lá quê mais uma mulher daquelas me lembrava no momento. Suas lambidas ardiam mais do que curavam os ferimentos abertos; Um vermelho vivo, como se houvesse me açoitado... ela me cobria as costas de cima abaixo com a língua e eventualmente mordia.
        Já havia soltado os meus braços, mas não percebi pois havia entrado em êxtase naquele momento.
        sentia-a agora acariciando minhas nádegas com a ponta das unhas, mas não mais arranhava... E eu completamente entregue, imóvel, não mais precisava enxergá-la. Sentia sua respiração sobre mim, como uma presença forte e viva: o seu cheiro estava impregnado no ar...
Era o que me bastava.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Dissertando

A dissertação deserta
da ação
Tão certa que se faz
habita o deserto,
solo árido ao corpo;
afirma e contextualiza.
comprovado de certo,
apenas o que se sente na pele.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carta aos membros da Academia Brasileira de Letras

Meus caros, onde está a vergonha que lhes restava na cara?
Medalha Machado de Assis, honraria máxima da academia, concedida a Ronaldinho Gaúcho...
Além de zombaria aos poucos que se aprofundam nas artes literárias, como pesquisadores, poetas, contistas, cronistas, professores e leitores dedicados, este é o carimbo da decadência e falta de respeito com uma instituição fundada por tão distinto nome da Literatura Brasileira.
Sarney, Collor, Paulo Coelho... e agora um pagodeiro!
Vou dormir e incluir na minha oração um pedido: Que quando o dia raiar eu acorde e descubra que foi tudo um grande pesadelo.
E se for realidade, peço que minha nave espacial venha me resgatar. Não tenho mais nada o que fazer aqui.

sábado, 30 de julho de 2011

Trapalhadas trágicas


Você confiaria a vida de sua família nas mãos dos três patetas? Não? pois 228 pessoas confiaram.

Patetas franceses, diga-se de passagem. Falo aqui do vôo do AF 447 da Air France.
Uma sucessão de trapalhadas e falta de respeito com a vida alheia causaram vítimas e muita dor às famílias.
Posso elencar algumas coisas aqui que deixariam qualquer um indignado:

1 - O Vôo mal levantou e o comandante foi dormir. Tirar uma pestana. Descansar, sabe? Tinha mal tempo à frente, mas não faz mal pois o avião estava em boas mãos: dois co-pilotos completamente inexperientes que ao menor problema ficaram perdidos igual a cachorro em dia de feira.
Só pra Ilustrar a situação dos co-piloCos:

Voce imagina estar viajando pra serra num ônibus de turismo, onde o veículo anda por desfiladeiros e estradas sinuosas... aí o motorista chama o sobrinho dele de dezesseis anos e diz assim: Guri, vou tirar um ronco, tu assume o busão pra mim. Ali é a embreagem... ali é o pisca... ali é o freio, no outro lado o acelerador... ah! a direção tu sabe como usar né?
- Claro tio! deixa comigo. qualquer coisa eu peço pro cobrador te chamar.

Imagina isso a dois mil metros de altitude.

Dá M.... isso né? Pois não foi o que achava o comandante do vôo do Air France. O cara foi tirar uma soneca e deixou os dois inexperientes no comando, só que o avião enfrentou tempo ruim ali na frente e o piloto automático parou de funcionar.

2 - Pra piorar, um dos dois trapalhões foi chamar o comandante quando o avião estava fora de controle, e o cara (comandante) achando que estava dormindo no sofá de casa de certo, levou preciosos 50 segundos pra levantar ( tempo que poderia ter salvo a vida de todos) e quando chegou na cabine, o monstro de metal estava em plena queda livre, sem sustentação nenhuma.
Pra elucidar um pouco mais:

Fonte: site de notícias G1

o Avião precisa de uma forte corrente de vento sob suas asas pra se manter no ar - é o que sustenta ele.
Se você mantiver o avião no ar sem mudanças bruscas de altitude, a base sob suas asas se mantém. O que aconteceu é o seguinte: Depois de o piloto automático ter pifado, os co-pilotos tiveram que assumir o controle manual. Sem experiência nenhuma, eles não sabiam se o avião estava subindo ou descendo. Confira um trecho da conversa gravada pela caixa preta. Este trecho da conversa começa com um dos co-pilotos (Robert e Bonin) apavorados esperando o comandante dorminhoco (Dubois) levantar:

23h 11 min 06 Robert: (*) Ele vem ou não?
23h 11 min 21 Robert: A gente tem ou não os motores, o que está acontecendo (*)?
23h 11 min 32 Bonin: Eu não tenho o controle do avião. Eu não tenho mesmo o controle do avião (*)
23h 11 min 38 Robert: Vire à esquerda
23h 11 min 41 Bonin: Tenho impressão que a gente conseguiu velocidade
23h 11 min 43 Barulho da porta da cabine
23h 11 min 43 Dubois: O que é que vocês fizeram?
23h 11 min 43 Robert: O que está acontecendo? Eu não sei o que está acontecendo

3- Durante toda a conversa atrapalhada entre os três, o aviso de ESTOL ( indicador de perda de sustentação) ficou apitando o tempo inteiro e eles não souberam identificar o que era o aviso.
Também o indicador de velocidade do avião havia sido obstruído por cristais de gelo ( proveniente da atmosfera por onde o avião viajava) e ninguém sabia mais dizer a que velocidade eles estavam.
Tal foi a confusão, que quando já estavam no nível do mar (1.200m), perto de colidir, eles achavam que estava a mais de 2.000m e haviam estabilizado.

Por que eu coloquei isso no blog? porque acho que existe muita falta de respeito e consideração pela vida dos outros. Poderia ser um familiar seu ou meu.

Se nos vôos franceses acontece isso, imagina nos brasileiros...

domingo, 17 de outubro de 2010

O lado certo do muro

Finalmente o PV se decidiu: Não vai apoiar ninguém.

Marina Silva tomou o mesmo rumo: deixar para o eleitor decidir em quem vai votar, sem causar nenhum tipo de influência aqueles 20 milhões de brasileiros que acreditaram nela, entre os quais, me incluo.

De um jeito ou de outro temos que sair de cima do muro, e as opções não são boas. De um lado, uma candidatura que preza pelo ser humano, pelo desenvolvimento do país, mas que para isso acontecer, passa por cima da natureza e das terras dos indígenas.
De outro lado, temos um candidato que preza pelas privatizações, que usa um modelo antigo de governo, mas disposto a fazer de tudo pela presidência, inclusive fazer dancinha no programa Pânico na TV.

Bem, para este eleitor convicto de Marina Silva o candidato a apoiar já foi escolhido, com base nas 10 propostas de Marina Silva e as respostas de Dilma e Serra para cada uma.

Minha sugestão: POR FAVOR ELEITORES DA MARINA, NÃO VOTEM NO SERRA.

Me justifico agora. Acabei de ler a tabela comparativa no G1 e o que li das propostas do candidato Serra é o tipo de coisa que eu jamais gostaria para o Brasil novamente (lembremos o grande privatizador e magnata de coração frio FFHH).

Por mais que algumas coisas do governo Lula ou da Dilma não nos desçam goela abaixo, NADA PODE SER PIOR QUE O SERRA.

Alguns pontos chave:
O SERRA NÃO TEM PROPOSTA QUE VISE TRANSPARÊNCIA DAS CONTAS DO GOVERNO.  A dilma tem.
O SERRA NÃO TEM UMA PROPOSTA SÉRIA PARA A ERRADICAÇÃO DO ANALFABETISMO.
A Dilma Tem.
O SERRA NÃO TEM NENHUMA PROPOSTA SÉRIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL.
A Dilma concordou com as propostas de Marina e trata o assunto com seriedade.

Por favor, leiam a tabela inteira e tirem suas conclusões:

http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/saiba-o-que-dilma-e-serra-ja-falaram-sobre-propostas-de-marina.html

Eu já tirei as minhas e me decidi. Bom segundo turno a todos.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Vem andar e voa...

Estava olhando aqui algumas coisas legais que eu já fiz e achei essa montagem com a música da Marisa Monte, que inevitavelmente me deixa de coração e mente mais leve em tempos mais pesados...

video

Postagens populares